sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

A origem do nome Dieckmann

Waldemar Dieckmann

A seguir, transcrevo trecho do livro "Contra outra, Vô", de autoria de Waldemar Dieckmann, engenheiro , neto de Willy Dieckmann, irmão do meu avô Germano (ambos falecidos). Waldemar vive em Icaraí, uma das praias de Niterói (RS). Neste trecho do livro, Waldemar esclarece a origem do sobrenome Dieckmann, que veio para o Brasil em meados do século XIX, trazido pelo casal Hermann e Sibylla Agneta Thilmann Dieckmann, que se radicou em São Lourenço do Sul (RS).
"Desde criança, ouvia meu pai, Leopoldo Dieckmann, falar sobre essa palavra Dieck, que simplesmente não existe no idioma alemão. A palavra mais parecida seria 'dick', que significa 'gordo'; tudo bem, a tradução seria 'homem gordo, faz sentido. Mas afinal, e o 'e', como surgiu?
A resposta veio quando eu já tinha mais de cinquenta anos. Engenheiro responsável pela construção de um condomínio, fui apresentado por um condômino a um amigo visitante. Sabendo o meu nome, esta visita, que era um engenheiro holandês, perguntou-me quando meus pais ou avós tinham vindo da Alemanha. Respondi que meu bisavô havia vindo da Alemanha com a família. Retrucou-me que concordava que meu bisavô tivesse vindo da Alemanha, porém o sobrenome Dieckmann é holandês e seu significado é 'homem do dique'; e dique é o que mais tem na Holanda. Disse ainda que Dieckmann é tão comum na Holanda como Silva, Costa ou Oliveira no Brasil. Certamente, então, pode ter acontecido de um Dieckmann holandês ter emigrado da Holanda para a Alemanha e um seu descendente seria o meu visavô. Pena que meu pai já havia falecido e não cheguei a dar-lhe este esclarecimento" (fl. 20)
Esta narrativa de Waldemar coincide com o que me contavam meu avô Germano e meus tios Deodoro Mena e Idílio Víctor, ou seja, que o nome Dieckmann seria ou uma ou corruptela de "dick" (gordo) ou uma palavra de origem holandesa referente a dique.
Igualmente é razoável a suposição de que um Dieckmann holandês tivesse migrado para a Alemanha e, de lá, um de seus descendentes tivesse vindo para o Brasil. Ocorre que, pelo que tenho notícia, Hermann Dieckmann era originario de Düsseldorf, uma cidade que fica perto da Holanda em termos geográficos. Com a família de Beethoven, por exemplo, aconteceu o mesmo, os pais eram holandeses e migraram para Bonn, na Alemanha, onde nasceu Ludwig van (em Bonn existe o Museu Beethoven, que, inclusive, tem em exposição o berço do gênio da música).
Agora, sempre tem um porém. Os Beethoven levaram para a Alemanha o "ee" característico da grafia holandesa e Dieckmann grafa-se com "ie". Ainda assim poderia ser de origem holandesa, numa corruptela de "ey" (van Eyck), como um Dieckmann que vivia em Nova Iorque mencionou em correspondência ao Jefferson Dieckmann.
Pelo sim, pelo não, o certo é que, pelo menos hoje em dia, Dieckmann "é um nome maravilhosamente alemão", como ouvi, certa vez, de um berlinense que conheci em uma reunião-almoço da Câmara de Comércio Brasil-Alemanha.

Nenhum comentário: