segunda-feira, 13 de abril de 2015

Os bondes de Pelotas "et alii"

As duas primeiras fotos desta postagem antecedem em uns cinco anos a extinção definitiva do serviço de bondes de Pelotas em abril de 1955. O bonde da primeira foto e o trecho da via, da segunda, estavam situados no início do declínio suave da Rua Benjamin Constant em direção ao porto da cidade, quase na esquina da Rua 15 de novembro. 


Sim, não só Porto Alegre, mas também. Pelotas e Rio Grande, que completavam o trio das principais cidades do Rio Grande do Sul à época, tiveram as suas linhas de “tramways”. Tudo começou com tração animal, mas a eletrificação evidentemente se impôs com o tempo. Nestas três cidades, os bondes faziam a conexão perfeita entre todos os bairros.


No caso de Pelotas, os bondes foram derrotados pela dificuldade da concessionária em obter reajustes no preço para o usuário que cobrisse os custos. Quando o serviço foi extinto, pela não renovação da concessão, o Brasil vivia um dos seus vários períodos de elevada inflação, que na época era candidamente denominada de “carestia”.

Não foi o caso de Porto Alegre, onde houve uma opção deliberada da Administração Municipal no sentido de extinguir o serviço de bondes em favor do ônibus. Já, Rio Grande, não tenho idéia de como ocorreu o fim dos “tramways”.
Por todo o mundo, porém, o “tramway” está renascendo. Em muitos lugares, como Milão e Lisboa, nem chegou a ser extinto. Estas cidades, além de preservarem modelos de “tramways” iguais aos que percorriam as nossas ruas, os fazem circular ao lado de modelos mais modernos. 

A seguir, fotos de bondes que continuam funcionando em cidades da Europa:

 Lisboa (dos antigos)

 Lisboa (dos antigos)

 Lisboa (dos antigos)

Milano (dos antigos)

 Milano (tramway moderno)

Praha (tramway moderno)

Texto do autor do blog em 13 de abril de 2015.
Fotos do acervo pessoal do proprietário do blog

Nenhum comentário: